quarta-feira, 3 de junho de 2009

Parque Sustentabilidade tem de ser feito até 2012

Europa paga seis dos 14 milhões se estiver concluído em três anos
JOÃO PAULO COSTA

Um ano para apresentar projectos. Mais dois para as obras. É esta a calendarização do Parque da Sustentabilidade, que promete mudar o centro de Aveiro. O protocolo de financiamento foi, esta terça-feira, assinado.

O (contra) relógio do Parque da Sustentabilidade de Aveiro começou ontem a contar. Dentro de três anos, todas as intervenções de requalificação em 20 hectares do centro da cidade têm de estar concluídos. O que não estiver pronto em 2 de Junho de 2012 não será comparticipado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), que se prevê venha a pagar 42% dos 14 milhões que serão investidos em cinco áreas: Bairro do Alboi, Baixa de St. António, Parque D. Pedro, Parque Mário Duarte e Rua das Pombas.

O protocolo de financiamento com o programa "MAISCENTRO", no âmbito das "Parcerias para a Regeneração Urbana", que prevê a referida comparticipação de quase seis milhões de euros, obriga a Câmara de Aveiro e os parceiros (Universidade, Associação Comercial, Filarmonia das Beiras, INOVARIA, Clube de Ténis, Junta da Glória e investidores privados) a terem os projectos concluídos num ano.

Os projectos mais adiantados são os da Casa da Comunidade Sustentável (onde ficará instalada a Junta da Glória) e a ponte sobre a ria que ligará a zona do Alboi ao Rossio. O Parque da Sustentabilidade prevê, entre outras intervenções, requalificar a Baixa de St. António com a criação de um Jardim da Ciência e melhorar o aspecto paisagístico e o mobiliário urbano do Parque D. Pedro. Também a recuperação da Igreja de St. António e a capela de S. Francisco fazem parte deste programa de valorização.

O principal risco deste projecto, como referiu Alfredo Marques, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, é a eventual falha de um parceiro no cumprimento da comparticipação financeira, que poderá colocar em causa a obra em que está envolvido.

Segundo o protocolo, os parceiros vão investir: Câmara - 4,4 milhões de euros (3,1 dos quais vêm do FEDER); Universidade - 1,3 milhões (900 mil); Parceria Público Privada/Universidade - 7 milhões (1 milhão); Junta da Glória - 602 mil euros (421 mil); Associação Comercial - 102 mil (71750); INOVARIA - 61 mil (42 mil); Clube de Ténis - 315 mil (95900) e Filarmonia das Beiras - 137 mil (95900).

O presidente da Câmara, Élio Maia, acredita que as parcerias são "garantia de sucesso" e que a intervenção vai criar "espaços de qualidade". O secretário de estado do Ordenamento e das Cidades, João Ferrão, avisou que o Governo "não quer mais projectos para a gaveta".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário... o Planeta agradece!!!